5G no Brasil será mais caro sem Huawei, diz presidente

Alvo de constantes boatos sobre um possível bloqueio na infraestrutura 5G do Brasil, a Huawei finalmente se pronunciou de forma mais extensa sobre o assunto.

O presidente da empresa no Brasil, Sun Baocheng, falou sobre o assunto em entrevista à Folha de S. Paulo.

Ele afirmou que a empresa tem entre 40% e 50% de participação no mercado brasileiro de telecom, e argumentou que o 5G ficará mais caro se a Huawei ficar de fora da migração.

Segundo Baocheng, os impactos principais seriam três.

“O primeiro é que vai demorar a transformação digital do Brasil. O segundo é que vai aumentar os custos dos operadores e o terceiro é que os custos dos operadores vão ser transferidos para os consumidores. Os brasileiros vão pagar um preço mais alto pelos serviços 5G”, afirmou.

Na questão da transformação digital, o argumento do executivo é que ela deve demorar mais pois seria necessário mais tempo para substituir equipamentos Huawei (já prontos para a migração para o 5G) por soluções de outras empresas.

Baocheng ainda defendeu sua empresa das acusações de espionagem. “Entramos no Brasil no momento da privatização, em 1998. Sempre respeitamos a lei e os regulamentos no país, incluindo aqueles sobre proteção de dados e da privacidade”, disse ele.