Afetadas por coronavírus, empresas chinesas pedem empréstimos

Mais de trezentas empresas chinesas de tecnologia buscam empréstimos do governo para lidar com os prejuízos causados pelo coronavírus.

Segundo a Reuters, o total dos empréstimos pedidos chega a US$ 8 bilhões.

Entre as empresas estão nomes conhecidos como Xiaomi e Didi (dona da 99).

A Xiaomi pede empréstimos de US$ 716 milhões para produzir equipamentos médicos, como máscaras e e termômetros.

Já a startup de entregas Meituan Dianping pede cerca de US$ 400 milhões para, entre outras atividades, subsidiar a entrega de alimentos e roupas aos médicos em Wuhan.

Segundo uma fonte da Reuters, nem todas as empresas devem receber os empréstimos, pois os bancos avaliarão se as companhias terão condições de pagá-los no futuro.