Alemanha vai investigar integração Facebook/Oculus

A semana do departamento jurídico do Facebook continua cheia. Logo após o anúncio do processo do governo americano contra a empresa, outro país resolveu investigar as práticas da empresa.

Autoridades da Alemanha anunciaram ontem que vão abrir uma investigação sobre a integração das contas do Facebook nos produtos da Oculus.

Mais bem sucedida fabricante de óculos de Realidade Virtual para games, a Oculus foi comprada pelo Facebook em 2014 e por muitos anos operou de forma independente.

Porém, nos últimos meses, o Facebook tem tomado medidas para integrar a subsidiária.

A mais polêmica foi a exigência de uma conta no Facebook para usar os produtos da Oculus.

A medida foi anunciada em agosto e imediatamente provocou revolta em comunidades de gamers, já que não a integração não traz nenhum benefício técnico para os usuários (fora os famosos “recursos sociais”).

Autoridades da Alemanha acompanharam o assunto e agora avaliam se impor o uso de contas do FB aos fãs da Oculus seria ilegal do ponto de visa da GDPR, conjunto de leis que regula a privacidade na União Europeia.

Haverá ainda investigações sobre se o Facebook estaria usando seu poder dominante em um mercado (o de redes sociais) para prejudicar concorrentes e dominar outro mercado (o de produtos de RV).

Críticos da empresa alegam que, com a medida, o Facebook está forçando o uso de sua rede social a quem não quer estar por lá, com o intuito de coletar e cruzar mais dados para suas plataformas sociais.