Amazon é acusada de prejudicar funcionárias grávidas

A Amazon está sendo alvo de críticas por supostamente prejudicar algumas de suas funcionárias grávidas.

A CNET teve acesso a sete processos movidos contra a empresa por ex-funcionárias.

Em todas as sete ações, as mulheres foram demitidas poucas semanas após dizerem a seus gerentes que estavam grávidas.

Segundo as ex-funcionárias, os gerentes se recusavam a adotar qualquer medida para adaptar a rotina de trabalho às mulheres grávidas.

Algumas delas disseram que os chefes reclamavam quando elas iam ao banheiro com mais frequência ou manifestavam cansaço.

À CNET, a Amazon negou controlar as idas ao banheiro de funcionários de seus galpões.

A empresa também negou qualquer tipo de discriminação contra grávidas.