Após derrota de Trump, Huawei tenta reagir no Reino Unido

Na longa lista de empresas de tecnologia que certamente comemoraram a derrota de Donald Trump, a Huawei provavelmente está em primeiro lugar.

Como já longamente comentado por aqui, o governo Trump está em uma guerra contra a empresa há dois anos. E, agora que Trump perdeu a eleição, a Huawei tenta reconquistar algum terreno.

O Guardian informa que a Huawei pediu ao governo do Reino Unido reconsidere sua decisão de banir a empresa de sua infraestrutura de 5G.

À publicação, Victor Zhang, vice-presidente da Huawei, disse que o Reino Unido deve reconsiderar sua posição, sob pena de ficar para trás na corrida tecnológica e aumentar o abismo social entre áreas mais pobres e mais ricas da nação.

“Pesquisas independentes indicam que a conectividade no norte do país atualmente já é bem inferior à encontrada em Londres. O atraso no 5G vai piorar essa situação. O próprio governo disse que sem a Huawei pode haver um atraso de três anos até que o país tenha uma rede abrangente de 5G. Isso pode gerar impactos de 18 bilhões de libras”, argumentou Zhang.

O executivo disse ainda que a decisão britânica “foi política e motivada por pressão do governo Trump, e não pela percepção inglesa da Huawei. Essa decisão foi motivada pela guerra comercial entre EUA e China”.

Recentemente, um relatório técnico emitido pelo governo britânico apontou falhas de segurança em equipamentos da Huawei, o que serviria como razão para o bloqueio da empresa no país.