Após muita indecisão, Twitter bane o polêmico Alex Jones

Há cerca de um mês, no auge da polêmica sobre fake news, Apple, YouTube e Facebook decidiram remover páginas e conteúdo produzido por Alex Jones, o polêmico ativista da extrema-direita americana. Já o Twitter havia ficado em cima do muro e apenas suspendeu Jones por alguns dias.

Na sexta-feira passada a situação mudou e o Twitter resolveu finalmente banir Jones. Segundo a empresa, Jones teria publicado conteúdo promovendo violência e discurso de ódio, o que viola as regras da rede.

A polêmica

Jones é conhecido por divulgar notícias falsas e teorias de conspiração em sua página Infowars. O exemplo mais famoso é o de que o massacre da escola de Sandy Hook (em que 20 crianças foram mortas em 2012) teria sido uma farsamontada por defensores de regras mais rígidas para porte de armas nos EUA.

Há cerca de um mês, o Twitter foi a única das grandes empresas de tecnologia a se recusar a banir as páginas de Jones, sob a justificativa de que espalhar conteúdo falso não violava as regras de uso da rede. Desde então, a rede passou a ser alvo de fortes críticas de diversos setores da sociedade americana e, no fim da semana passada, resolveu então banir de vez o polêmico ativista.