Após Vaza Jato, teles reforçam segurança de caixa postal

Após o caso Vaza Jato, as operadoras de telecom se movimentam para corrigir vulnerabilidades no uso da caixa postal, informa o MobileTime.

Essas brechas permitem, por exemplo, usar a caixa postal como forma de obter acesso indevido a apps de mensagens, como ocorreu no caso Vaza Jato.

Segundo o MobileTime, a principal medida foi impossibilitar que caixas de voz sejam acessadas a partir de ligações utilizando o próprio número do usuário, mas por meio de redes de terceiros.

Esta vulnerabilidade foi usada, segundo a Polícia Federal, pelo grupo que obteve mensagens de Telegram de integrantes do Ministério Público e do ministro da Justiça Sérgio Moro.

Outras medidas ainda em estudo podem ser adotadas, como a obrigatoriedade de senha nas caixas de voz e campanhas de conscientização sobre uso de aplicativos de mensagem (estimulando o uso da autenticação por senha de dois fatores).

Segundo o MobileTime, a Anatel apenas acompanha o trabalho das operadoras. As medidas têm sido tomadas de forma discreta e não existe nenhum processo formalmente aberto pela agência.