Apple e Facebook acirram disputa sobre privacidade

A troca de farpas entre Apple e Facebook aumentou na semana passada, à medida que se aproxima a implementação de uma nova ferramenta de privacidade no iOS.

Já comentado por aqui, o App Tracking Transparency (ATT) exigirá que os apps obtenham a permissão explícita do usuário para acessar dados normalmente usados para direcionar publicidade.

Zuck x Cook

Em comentário a acionistas na semana passada, Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, disse que a Apple “tem todos os incentivos para usar sua plataforma dominante e interferir no funcionamento dos nossos apps e de outras empresas”.

A resposta da Apple veio em um comentário de Tim Cook, na última sexta-feira. Em evento sobre privacidade, sem citar o Facebook, ele disse que “Se um negócio é baseado em enganar usuários, em exploração de dados, em escolhas que não são escolhas, então ele não merece o nosso apoio. Ele tem que ser reformulado”.

Ele ainda foi mais fundo em sua ‘cooktucada’ e disse: “Quais são as consequências de priorizar teorias da conspiração e violência simplesmente para ter mais engajamento? Quais são as consequências de, não apenas tolerar, mas premiar conteúdo que promove a desconfiança contra vacinas? Quais as consequências de ver milhares de usuários se cadastrarem em grupos extremistas, e recomendar ainda mais grupos?”. Ouch.

Ao Wall Street Journal, analistas afirmam que o ATT pode causar sérios danos ao modelo de negócio do Facebook. “Se você investe em publicidade no Facebook e a eficiência dos anúncios cai, você investe menos”, disse um executivo da área de marketing.

O ATT deve ser ativado em uma atualização do iOS entre abril e maio.