Apple favorecia seus apps na loja do iPhone, diz NYT

Uma reportagem do NY Times mostra que, até recentemente, a Apple privilegiava seus apps nas buscas da App Store, prejudicando concorrentes mais relevantes.

Com auxílio de uma consultoria, a reportagem analisou dados de 13 termos de busca na App Store ao longo de seis anos.

Ao buscar por “music”, por exemplo, o Apple Music era o primeiro resultado, o que faz sentido.

Entretanto, outros apps da Apple que nada têm a ver com música eram listados antes de concorrentes bem avaliados e populares, como o Spotify.

Mais precisamente, no fim do ano passado, os oito primeiros resultados para a busca “music” eram apps da Apple, incluindo o iMovies, um app de vídeos.

O exemplo de “music” servia também para podcasts. Nessa categoria, o primeiro resultado era o Apple Podcasts, o segundo era o app de bússola (!) da Apple. Depois, Apple Books, Apple News, e por aí vai.

Nice guys finish last

Nada satisfeito com a situação, o Spotify abriu uma queixa na União Europeia em março deste ano. Dois meses depois, apenas dois apps da Apple ainda estavam nos resultados relevantes.

Ao NY Times, executivos da Apple negaram qualquer tipo de manobra para favorecer os apps da empresa.

Eles argumentaram que as posições favoráveis dos apps da Apple aconteciam apenas apenas porque o algoritmo tendia a agrupar apps de um mesmo desenvolvedor.

Assim, como o primeiro resultado era da Apple, os seguintes também acabavam sendo da mesma empresa.

A Apple modificou essa configuração em julho e, como resultado, muitos de seus apps deixaram as primeiras posições em várias buscas populares.

O controle absoluto da Apple sobre a App Store já é alvo de processo jurídico nos EUA, além da já mencionada ação movida pelo Spotify na União Europeia.