Bloqueio ao WeChat pode afetar Apple

Em um cenário pessimista, as vendas da Apple na China podem cair até 30%, dependendo de como o bloqueio ao WeChat for implementado.

A hipótese foi levantada pelo analista Ming-Chi Kuo em documento enviado a grandes empresas do mercado de tecnologia.

Juntamente com o TikTok, o presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou um bloqueio contra a Tencent – dona do WeChat – a partir do dia 15 de setembro.

A princípio, espera-se que o bloqueio contra o WeChat seja imposto apenas nos EUA. Como o app não é muito popular por lá, não faria grande diferença.

No entanto, caso a situação EUA/China piore, existe a possibilidade de que o governo dos EUA obrigue a Apple a remover o app em todo o mundo.

Como na prática não dá pra viver sem WeChat na China (pensem no WhatsApp com muitas funções extras), as vendas do iPhone por lá cairiam drasticamente se o bloqueio fosse imposto.

Vale ainda lembrar que a Apple é a única empresa não-chinesa com forte participação no mercado de smartphones local, e portanto seria um alvo fácil caso o governo chinês resolva retaliar as medidas dos EUA.

As consequências do bloqueio à Tencent ainda são incertas, visto que a empresa tem forte participação acionária em várias empresas americanas e europeias, como Tesla, Spotify.