Califórnia pressiona Uber a regularizar motoristas

A Advocacia Geral do estado da Califórnia entrou ontem com uma ação contra o Uber e seu rival Lyft. O estado quer pressionar as empresas a contratarem seus motoristas como funcionários, e não como terceirizados.

Uma lei que obriga essa mudança foi aprovada no início do ano no estado, mas ainda depende de algumas regulamentações, e por enquanto o Uber e o Lyft estão “se fingindo de mortos”.

A ação da advocacia pede que a Justiça emita uma liminar que obrigue as empresas a mudar a situação dos motoristas em poucas semanas.

O estado alega que os motoristas são na prática funcionários das empresas e como tal deveriam ter direito a benefícios como plano de saúde e férias.

Já as empresas alegam que a mudança inviabilizaria suas atividades e poderia por em risco o ganha-pão dos motoristas.

Em momento de grande desemprego nos EUA, as companhias alegam que fornecem uma alternativa de fácil acesso para muitos desempregados, e uma eventual paralisação deixaria mais pesssoas sem renda.

Uber e Lyft se apoiam ainda em pesquisas que indicam que a maioria dos motoristas do estado teriam preferência por trabalhar de modo independente, sem obrigações com as companhias.

Ainda como parte da estratégia contra a mudança na lei, Uber e Lyft estão bancando uma iniciativa para um plebiscito sobre o assunto.

A ideia das empresas é que o plebiscito ocorra em novembro, mas há questões legais a serem resolvidas para que isso ocorra.