China trava venda do TikTok

Alguns dias atrás, comentamos aqui que uma nova lei do governo chinês poderia travar a venda do TikTok. E foi exatamente isso o que aconteceu.

Wall Street Journal e Reuters informam que as conversas esfriaram, enquanto as partes tentam entender as implicações da nova lei e conceber estratégias para tentar concluir o negócio de alguma forma.

Resumidamente, a nova lei diz que qualquer empresa chinesa que queira vender tecnologia relacionada a Inteligência Artificial para fora do país precisa de autorização do governo.

Em tese, o algoritmo de recomendação de vídeos do TikTok usa algum nível de IA e portanto estaria submetido à nova regra.

Com a novidade, a Bytedance, dona do TikTok, estuda alternativas para fechar a compra com as potenciais compradoras: Oracle e Microsoft/Walmart. Segundo a Reuters, quatro alternativas são estudadas.

Buchecha sem Claudinho

A primeira é vender o app (incluindo aí base de usuários, patrimônio de marca, design etc.), mas não o algoritmo.

O algoritmo, no entanto, é parte integral do sucesso do TikTok. Como outros apps do gênero, o TikTok recomenda vídeos para seus usuários com base em uma série de dados de engajamento.

Criar um novo algoritmo do zero rapidamente e com igual eficiência não seria tarefa nada fácil, mesmo para gigantes como Microsoft e Oracle.

A segunda alternativa seria pedir mais prazo ao governo dos EUA, que exige que o app seja vendido até o dia 15 de novembro. Caso isso não ocorra, o TikTok seria bloqueado nos EUA.

A terceira seria conseguir autorização da China para que o app seja vendido com o algoritmo, mas é improvável que o governo chinês tenha boa vontade neste caso.

A quarta opção seria que, em vez de vender, a Bytedance licenciasse o algoritmo do TikTok para o novo comprador. Esta ‘gambiarra’ talvez seja suficiente para contornar as regras chinesas, mas os EUA já disseram que não querem que tecnologia da China esteja no TikTok após a venda.

Como se vê, nenhuma das alternativas parece fácil no momento e novos detalhes sobre as negociações devem surgir nos próximos dias.