Crítico do Vale do Silício, Harari é paparicado em visita

Em longa reportagem, o NY Times detalha a visita do historiador Yuval Noah Harari a grandes empresas do Vale do Silício.

Harari se tornou conhecido pelo livro Homo Sapiens e depois escreveu duas outras obras, nas quais alerta para os perigos do desenvolvimento tecnológico.

Em seus livros, Harari fala do possível surgimento de uma “classe inútil” de pessoas.

Esta classe poderia surgir devido ao rápido avanço tecnológico, que tornaria muitas profissões obsoletas.

Assim, poderia haver uma grande quantidade de pessoas sem função social, que correriam o risco de serem marginalizadas pelas elites.

Outra tese de Harari é que o avanço tecnológico estaria deixando as pessoas cada vez mais suscetíveis a manipulação por algoritmos.

Apesar dessas críticas, mostra o NY Times, Harari fez sucesso em sua visita ao Vale do Silício para divulgar seu mais recente livro.

Ele foi recebido por figurões como o CEO da Netflix, Reed Hastings, e deu palestras em várias empresas de tecnologia.

Na matéria, Harari se mostra resignado com o poder dos executivos do Vale do Silício.

“Conheci vários deles, e são boas pessoas de modo geral. Quando pensamos em líderes da humanidade, há opções bem piores“, disse.

Por outro lado, ele também se mostra desconfortável com a boa recepção de seu trabalho.

“Talvez minha mensagem não seja ameaçadora para eles, e por isso eles a adotam?”, questiona Harari.