Críticos da Huawei devem mostrar alternativa, diz Johnson

Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson afirmou ontem que não vai correr riscos de segurança na migração para o 5G.

Por outro lado, afirmou que críticos da Huawei devem mostrar como a migração pode ser feita sem a empresa chinesa.

“Os britânicos merecem ter acesso à melhor tecnologia possível. Se as pessoas são contra uma ou outra empresa, então elas devem dizer para nós qual é a alternativa”, disse ele em entrevista.

Juízo final

Johnson deve definir nas próximas semanas se a Huawei poderá ou não participar da infraestrutura 5G do Reino Unido.

A pressão para que a Huawei fique de fora vem não somente dos EUA, mas também da Five Eyes, aliança de inteligência e segurança que reúne Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

Os dois últimos já decidiram barrar a Huawei de suas redes 5G.

A favor da Huawei, o chefe do MI5 (serviço de inteligência britânico), Andrew Parker, afirmou recentemente que não há motivos para crer que a atuação da empresa prejudique compartilhamento de informações de inteligência com os EUA.