Dorsey terá que ralar para permanecer CEO do Twitter

Comentamos por aqui ontem sobre o acordo feito pelo Twitter para manter Jack Dorsey como CEO da empresa até o fim do ano.

Novas informações divulgadas pela Wired sobre o acordo indicam que a vida de Dorsey não será nada fácil nos próximos meses.

Segundo a publicação, o acordo prevê que o Twitter aumente em 20% sua base de usuários ativos diários. No ano passado, a empresa bateu essa meta, por pouco.

O Twitter também se comprometeu a aumentar sua fatia de mercado na publicidade digital (com números ainda não definidos). Mas crescer de verdade nessa área significa bater de frente com Google e Facebook, o que não seria uma batalha nada fácil.

Além disso, como já comentamos por aqui, o Twitter vai gastar US$ 2 bilhões para recomprar ações na bolsa, com a ajuda de um aporte de US$ 1 bilhão do fundo Silver Lake.

Com a recompra, o valor das ações imediatamente aumenta, o que é bom para os acionistas. Essa prática é mais comum em companhias que estão nadando em dinheiro, o que não é o caso do Twitter.

Atualmente, a empresa tem US$ 1,8 bilhão em caixa, e mais US$ 5 bi em investimentos de curto prazo. Ou seja, o valor gasto na recompra pode fazer falta em outros setores, como desenvolvimento de novas soluções e aquisições.

Para os usuários, na prática, isso significa que provavelmente vamos ter muito mais publicidade no Twitter nos próximos meses.