Empresa de reconhecimento facial vira alvo do Facebook e outras redes

Facebook, YouTube e outras empresas de tecnologia querem que a Clearview – empresa de tecnologia de reconhecimento facial – pare de usar fotos publicadas em redes sociais para identificar pessoas.

A Clearview tem contratos com departamentos de polícia dos EUA e permite encontrar informações de uma pessoa comparando uma foto fornecida pela polícia com bilhões de imagens disponíveis na web.

As redes sociais alegam que o uso de suas imagens em serviços como o da Clearview quebram os termos de uso, e entidades de defesa de privacidade acusam a Clearview de criar uma ferramenta de “vigilância social”.

Em um exemplo do poder da tecnologia, durante uma investigação da Clearview, uma repórter do NY Times pediu que policiais usassem uma foto dela na ferramenta. Nos dias seguintes, a empresa passou a contactar esses policiais para saber se eles estavam “falando com a imprensa”.

Que nem o Google

Em sua defesa a Clearview argumenta que apenas reúne fotos e informações já disponíveis de forma pública na web.

O Google importa informações de vários site. Então se é público e pode estar na busca do Google, também pode estar em nosso sistema”, diz o criador da empresa, Hoan Ton-That.