Facebook aposta forte em trabalho remoto

Em entrevista à CNBC, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou uma forte aposta no trabalho remoto daqui para a frente.

Segundo Zuck, o objetivo é que metade dos cerca de 50 mil funcionários do Facebook trabalhem remotamente em um intervalo entre cinco e dez anos.

O processo deve começar pelos Estados Unidos e ser gradualmente ampliado para outros países.

Além de estimular o trabalho remoto em novas contratações, a empresa vai dar a atuais funcionários a opção de trabalharem remotamente, dependendo do tipo de trabalho e da avaliação do empregado.

“Não é tão eficiente restringir contratações apenas a pessoas que morem perto dos escritórios”, disse Zuckerberg.

O executivo reforçou que boa parte dos processos e projetos da empresa já podem ser tocados remotamente, mas admitiu que haverá dificuldades em algumas áreas.

“Uma coisa é trabalhar de forma eficiente em projetos que já existem. Outra coisa é criar novos projetos. É um ponto fraco nas atuais ferramentas. Teremos que evoluir nessa área”, disse.

Como observa a CNBC, a decisão do Facebook e de outras empresas em reforçar o trabalho remoto pode ter grandes consequências para o Vale do Silício.

A grande concentração de profissionais de tecnologia nessa área colaborou para a disparada do custo de vida, principalmente dos aluguéis, nas cidades ao redor de San Francisco.