Facebook é investigado por suposto “racismo sistêmico” nos EUA

Uma agência do governo dos EUA está investigando o Facebook por suposta prática de racismo em seu processo de contratações.

A investigação é classificada como de “racismo sistêmico”, ou seja, quando há suspeita de que regras internas da empresa contribuam para a discriminação.

Nos EUA, questões como essa são normalmente resolvidas de forma negociada, por meio da Equal Employment Opportunity Commission (EEOC).

Em alguns casos, porém, a EEOC avalia que o caso merece uma avaliação mais profunda por meio de investigação. Este é o caso do Facebook.

A investigação surgiu a partir de queixas de um funcionário e três pessoas que participaram de processos de contratação na empresa.

Eles alegam que a empresa prejudica negros devido a processos de avaliação subjetivos e promoção de estereótipos raciais.