Facebook e Twitter “fazem as pazes” com o Congresso americano

Em depoimentos mornos e sem questionamentos mais duros, Sheryl Sandberg, COO do Facebook, e Jack Dorsey, CEO do Twitter, detalharam nesta quarta-feira (5) ao Congresso dos EUA os esforços das empresas para combater fake news, influência política de outras nações em eleições e problemas de incitação ao ódio nas suas redes.

Tanto Sheryl quanto Dorsey admitiram que suas empresas demoraram para reconhecer a extensão do problema e citaram as iniciativas recentes de remoção de centenas de páginas e perfis falsos. Eles se mostraram dispostos ainda a colaborar com governos e outras instituições para combater os recentes problemas.

Do lado dos congressistas, apesar de algumas críticas mais duras, o clima foi bem mais brando do que o do depoimento de Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, ocorrido em abril. Alguns deles chegaram a elogiar as empresas por demonstrarem maior empenho em dialogar com o governo para tentar resolver os problemas de conteúdo nas redes.

Google criticado

Enquanto FB e Twitter saíram dos depoimentos elogiados pelos congressistas, o Google foi criticado.

A empresa também foi convocada para os depoimentos, mas não mandou nenhum de seus chefões para o depoimento e tentou enviar um vice-presidente, mas essa oferta foi negada pelo Congresso. Uma cadeira vazia foi colocada na sala do depoimento para representar a ausência da empresa.