Funcionários pedem que Google encerre contratos com a polícia

Um grupo de 1,6 mil funcionários do Google assinou uma carta aberta a Sundar Pichai, CEO da empresa, pedindo que a companhia deixe de vender software para departamentos policiais nos EUA.

A carta vem no contexto dos protestos contra o racismo nos Estados Unidos após a morte de George Floyd.

Os funcionários pedem que o Google cancele um contrato com o Departamento de Polícia da cidade de Clarkstown, em Nova York. Esse DP está sendo processado por suposta vigilância ilegal de manifestantes do movimento Black Lives Matter.

Eles também questionam contratos com departamentos que policiam a fronteira dos EUA com o México.

Para os funcionários, esses contratos estão em contradição com as declarações de executivos da empresa sobre os acontecimentos recentes nos EUA.

“Não podemos estar no negócio de criminalizar vidas negras enquanto cantamos Black Lives Matter”, diz a carta.

Ao Verge, o Google afirmou que não tem planos de encerrar os contratos.