Google desencoraja conversas sobre antitruste

O Google é conhecido pela cultura interna aberta e pela liberdade de seus funcionários em falarem internamente sobre qualquer tema.

Nos últimos anos, eles já questionaram o envolvimento da empresa com a China, protestaram contra contratos do Google com o Pentágono e denunciaram casos de assédio sexual.

No entanto, um tema ainda é considerado tabu, de acordo com uma reportagem do New York Times.

No Google, a palavra antitruste é o equivalente a Voldemort, ou seja “aquele cujo nome não deve ser mencionado”.

A matéria afirma que, embora não seja proibido, falar sobre o poder de mercado da empresa altamente reprovável.

O tema não é mencionado em reuniões, fóruns internos de discussão, nem em entrevistas de emprego.

Ao NY Times, um ex-gerente do Google admitiu ter “descascado” um subordinado que mencionou o tema casualmente em um fórum interno.

A reportagem cita ainda um candidato a um alto cargo no Google que, após a entrevista, mandou um e-mail para o CEO, Sundar Pichai, perguntando se uma aquisição de startup poderia trazer problemas com o governo dos EUA.

A pergunta foi considerada pelos recrutadores um fator negativo para a candidatura ao emprego, de acordo com a matéria.

A reportagem diz também, que após o início de investigações antitruste no ano passado, a empresa suspendeu aquisições que poderiam reforçar a área de busca.

Um processo antitruste do governo dos EUA contra o Google é esperado para as próximas semanas.