Google sofre para emplacar Stadia

Duas reportagens publicadas na semana passada relatam as dificuldades do Google em emplacar seu serviço de games Stadia.

Como comentamos por aqui, recentemente o Google fechou os estúdios que produziam games exclusivos para o serviço.

Em resumo, as reportagens mostram que é necessário mais do que uma montanha de dinheiro para produzir games de sucesso.

Tanto na Wired quanto na Bloomberg, as fontes afirmam que burocracias e aspectos da cultura interna do Google impediram o sucesso dos estúdios que criariam os games blockbusters do serviço.

Um exemplo disso está nas contratações. Quando o serviço foi anunciado, em 2019, o Google disse que iria contratar 2 mil funcionários exclusivamente para produção de games exclusivos.

Porém, os estúdios fechados há algumas semanas somavam apenas cerca de 150 pessoas.

Uma das razões para a diferença estaria no longo processo de contratação do Google, em que vagas podem demorar longos meses para serem preenchidas.

As reportagens afirmam ainda que alguns processos internos do Google dificultavam a vida dos estúdios.

Um exemplo disso é que algumas ferramentas usadas na produção dos games teriam sido proibidas pelo Google, por questões de segurança de dados.

Esses fatores, somados a uma rivalidade interna entre as equipes da sede do Google e dos estúdios, teriam culminado no fracasso da iniciativa.

Com o fechamento dos estúdios, o Google se concentrará em oferecer a infraestrutura do Stadia para que outras empresas adaptem seus games para nuvem, e deixará então de investir em jogos exclusivos.