Governo dos EUA abre processo contra o Facebook

Após uma investigação de 18 meses, o governo dos EUA abriu o já esperado processo antitruste contra o Facebook.

A ação é movida pelo FTC (órgão federal que controla relações de mercado) e procuradorias de 47 estados americanos.

Em suma, a ação argumenta que o Facebook abusou de seu poder de mercado e tem na prática o domínio total quando se fala em apps sociais, controlando os três serviços mais usados no mundo (Face, Insta e WhatsApp).

Para consertar essa situação, o FTC pede que a empresa seja desmembrada, com a separação do Instagram e do WhatsApp.

A ação pede ainda regras mais rígidas para futuras aquisições do Facebook. A empresa teria que obter permissão do governo e dos 47 estados para qualquer aquisição acima de US$ 10 milhões, troco de bala quando falamos de Vale do Silício.

Na ação, o FTC acusa o Facebook de comprar concorrentes menores apenas para eliminar rivais. Em e-mails obtidos nas investigações, Mark Zuckerberg diz que o Facebook deveria comprar o Instagram para “neutralizar um concorrente em potencial” e afirma que, se o Insta crescesse demais, “poderia virar um problema para nós”.

Uma proposta irrecusável

O FTC diz ainda que o Facebook intimidava CEOs de concorrentes menores para que as vendas fossem concluídas.

Em casos em que a compra não era fechada, o Facebook usava seu poder de mercado para “esmagar” os concorrentes.

O caso mais famoso é do Snapchat, que recebeu duas ofertas de compra do Facebook e recusou ambas.

Nos anos seguintes, o Facebook teria agido para derrubar o Snapchat, copiando recursos do app no Instagram e dificultando o compartilhamento de conteúdo do Snap no Insta.

A Snap chegou a montar um dossiê com as “maldades” do Facebook, curiosamente chamado de Projeto Voldemort. A papelada foi entregue às autoridades no decorrer das investigações.

A abertura do processo é apenas o início de uma longa batalha jurídica, que pode durar anos.

O Facebook sempre negou qualquer irregularidade e certamente usará toda sua fortuna para se defender na Justiça.