Guerra EUA x Huawei não deve afetar 5G, diz Qualcomm

A tensão entre o governo dos Estados Unidos e a Huawei não deve atrapalhar a expansão do 5G no próximo ano.

Essa é a opinião de Cristiano Amon, presidente global da Qualcomm. Ele falou sobre o assunto em conversa com jornalistas durante o Snapdragon Summit que ocorre esta semana em Maui, Havaí.

“No caso da Qualcomm, estamos no lado dos dispositivos, e não da infraestrutura. Por isso, essa questão não nos afeta diretamente. Mas ficaríamos preocupados se notássemos que esses problemas estivessem afetando a expansão do 5G. Mas não estão. Independentemente dos problemas entre EUA e Huawei, o 5G já se expandiu ao longo deste ano em vários mercados em que a Huawei tem forte presença, incluindo países europeus”, comentou.

Aparelhos 5G no Brasil

No encontro, Amon antecipou ainda a possibilidade de aparelhos com suporte para 5G chegarem já no ano que vem, antes das redes.

“Em conversas com operadoras, já vemos interesse em lançar smartphones com suporte para 5G. Quem compra um smartphone premium normalmente fica com este aparelho por 4 ou 5 anos, e nesse tempo certamente o 5G vai chegar a esses países”, disse.

Como comentamos por aqui recentemente, há uma previsão do leilão do 5G para o primeiro trimestre do ano que vem. Mas muita gente no mercado acredita que isso pode ficar para o segundo semestre ou até mesmo para 2021.