Levandowski pega 18 meses de prisão

O especialista em carros autônomos Anthony Levandowski foi condenado ontem a 18 meses de prisão por ter levado informações sigilosas do Google para o Uber.

Considerado uma das referências em tecnologia de carros autônomos, ele trabalhou na Waymo – subsidiária de carros autônomos da Alphabet/Google – até 2016. Saiu de lá para criar sua própria startup, a Otto, que foi comprada pelo Uber meses depois por US$ 680 milhões.

O Google então acusou o engenheiro de ter levado informações confidenciais sobre a Waymo para a rival e processou também o Uber.

No fim das contas, Google e Uber se acertaram na Justiça, mas a ação da primeira contra o engenheiro continuou.

Na decisão, o juiz classificou o crime de Lewandowski como “o maior roubo de informações empresariais que já vi”.