Libra muda de nome para se distanciar do Facebook

A Associação Libra anunciou ontem que vai mudar o nome de sua moeda digital para diem (dia, em latim).

A mudança de marca faz parte da estratégia para distanciar a moeda da visão original apresentada pelo Facebook no ano passado.

Desde seu anúncio, a libra é gerenciada pela associação de mesmo nome, que inclui cerca de 30 empresas.

Formalmente, o Facebook nem faz parte da associação, mas dá as cartas por meio de sua subsidiária Novi.

Na prática, por meio da Novi, é o Facebook que dá as cartas. Afinal, foi ele que concebeu a libra e projetou a parte tecnológica por trás da moeda.

Como comentamos por aqui há alguns dias, a libra, agora diem, deve ser lançada em janeiro em uma versão bem menos ambiciosa do que a projetada pelo Facebook.

Inicialmente, a libra foi concebida como uma moeda global atrelada a um conjunto de moedas. Ela permitiria transferências instantâneas entre usuários de todo o mundo.

Tudo muito bonito, mas a ideia não agradou nada a autoridades financeiras de vários países, preocupadas com o risco de lavagem de dinheiro e outras irregularidades.

Nas semanas seguintes ao anúncio, pesos-pesados como Visa, Mastercard e PayPal abandonaram o projeto.

Restou então à Associação Libra mudar o escopo da moeda. A diem deve ser lançada apenas em alguns países, e com valor atrelado em 1 para 1 a uma única moeda, o dólar americano.