Microsoft e Amazon vão restringir reconhecimento facial

Depois da IBM, outras duas grandes empresas anunciaram que vão impor limitações a seus produtos de tecnologia de reconhecimento facial.

A Microsoft anunciou ontem que não venderá ferramentas deste tipo para departamentos policiais, enquanto não houver uma legislação sobre o assunto.

“Não venderemos este tipo de software enquanto não houver leis para esta área baseadas nos direitos humanos”, disse ao Ao Washington Post, Brad Smith – presidente da empresa.

Smith disse ainda que a empresa adotará princípios que devem restringir o uso de suas ferramentas de reconhecimento facial em outras áreas, fora do escopo policial.

Outra empresa que adotou medidas foi a Amazon.

A empresa anunciou que impedirá que a polícia use seu software de reconhecimento facial – conhecido como Rekognition – por um ano. Durante este tempo, a empresa espera que o Congresso dos EUA “implemente as leis adequadas”.

O Rekognition é usado por departamentos de polícia e também pelo Departamento de Imigração dos EUA. Alguns estudos apontaram que o sistema tende a dar falsos positivos ao identificar pessoas de peles escuras.

A empresa também é dona da polêmica startup Ring – já comentada por aqui. A empresa câmeras de vigilância para residências, e as câmeras podem ser configuradas para enviar vídeos para departamentos de polícia.

As decisões da IBM, Amazon e Microsoft vieram no momento em que questão racial é amplamente debatida nos EUA, após o assassinato de George Floyd.