Microsoft grava filme do Superman em placa de vidro

m colaboração com a Warner, a Microsoft anunciou que transferiu todo o conteúdo dos rolos originais do filme Superman, de 1978, para uma pequena placa de vidro (acima).

Essa é a primeira demonstração do Projeto Silica, que tem como objetivo usar um vidro com alto grau de pureza, conhecido como sílica fundida, para armazenar grandes quantidades de informação.

A gravação dos dados no vidro é feita por meio de um laser de alta precisão, que faz ranhuras invisíveis a olho nu dentro da chapa de vidro. Uma placa de vidro com espessura de 2 milímetros pode conter até 100 camadas de dados.

O vidro usado pela MS tem grandes vantagens em relação a outras formas de armazenamento. Ele é resistente a temperaturas de mais de 500 graus, microondas, campos magnéticos e água. Também não precisa de salas especiais e pode ser guardado em temperatura ambiente.

Atualmente, a Warner transfere todo o seu arquivo de filmes e séries para HDs novos a cada três anos, para evitar problemas com a natural degradação dos discos. Isso, claro, dá um trabalhão e tem um custo altíssimo.

Além disso, a empresa preserva rolos de filmes em salas especiais, com temperatura controlada e detectores de odores para alertar qualquer tipo de alteração química nos rolos. Mais trabalho e custo.

Com a nova tecnologia, em tese, todo o acervo poderia ocupar bem menos espaço e ser guardado de forma bem mais prática.

A Microsoft espera que o Projeto Silica possa ser usado para armazenar outros tipos de documentos, como informações médicas e jurídicas.