Nos EUA, startups já demitem devido ao coronavírus

Em longa reportagem, o The New York Times detalha como muitas startups do Vale do Silício já estão demitindo seus funcionários devido ao “efeito coronavírus”.

Muitas dessas empresas fazem intermediação de serviços, como academias de ginástica e cursos, e de uma hora para outra perderam a maior parte de sua receita.

Segundo o NYT, nas últimas semanas, mais de 50 startups demitiram mais de 6 mil funcionários. Planos de IPO foram obviamente adiados e o financiamento das empresas está comprometido.

O NYT comenta ainda o exemplo da AirBnB, já mencionado por aqui. A empresa suspendeu sua verba de US$ 800 milhões em marketing, e renegocia dívidas.

Outra startup badalada, a Bird, de patinetes elétricos, demitiu cerca de 30% de sua equipe. A demissão foi comunicada a todos os desligados de uma vez, via videoconferência.

A reportagem prevê ainda um cenário difícil para investimento em novos projetos. Os investidores já vinham de algumas decepções no ano passado, como o Uber e o WeWork, e agora ficarão ainda mais cautelosos em assinar cheques bilionários para empresas sem um modelo de negócio comprovado.