NSA criou vírus que paralisou Baltimore

Semana passada comentamos aqui sobre como a cidade de Baltimore teve serviços paralisados após um ataque de hackers.

Há três semanas, milhares de computadores e linhas telefônicas de servidores públicos estão travados e serviços básicos, como pagamento de contas, estão fora do ar.

Neste sábado, uma reportagem do NY Times revelou que os hackers usaram uma ferramenta chamada EternalBlue para realizar o ataque.

Feitiço contra feiticeiro

O curioso é que a EternalBlue foi desenvolvida pela National Security Agency (NSA), órgão do próprio governo americano, para atividades de espionagem online.

Segundo o NYT, a NSA levou anos para criar a EternalBlue, que explora uma vulnerabilidade do Windows.

A ferramenta era tão secreta que nem mesmo a Microsoft sabia de sua existência.

Em 2017, porém, um grupo de hackers conseguiu acesso à EternalBlue e divulgou o software na web.

Com isso, a NSA foi obrigada a admitir a existência da ferramenta. A Microsoft então publicou uma correção do Windows, mas muitos sistemas não foram atualizados.

Estes sistemas antigos, muito comuns em órgãos públicos não só nos EUA, são os grandes alvos dos hackers. Além do ataque em Baltimore, o NYT afirma que as cidades de Allentown e San Antonio sofreram ataques com uso da EternalBlue.