Pivô de briga Uber x Google, engenheiro pede falência

O engenheiro e empresário Anthony Levandowski, personagem de uma disputa jurídica entre Uber e Google, declarou falência ontem nos EUA.

O pedido veio após a Justiça obrigá-lo a pagar US$ 176 milhões à Waymo – subsidiária de carros autônomos da Alphabet, que controla o Google.

Levandowski foi um dos primeiros funcionários da Waymo e tinha grande prestígio no Google, sendo inclusive próximo do então CEO Larry Page.

O engenheiro saiu deixou a Waymo em 2016 e poucas semanas depois fundou sua startup, a Otto.

Logo depois, a Otto foi comprada pelo Uber por cerca de US$ 680 milhões, e integrada à então iniciante unidade de carros autônomos da empresa.

A Waymo então entrou na Justiça dos EUA, acusando Levandowski de roubar propriedade intelectual da empresa e fornecer informações sigilosas para o Uber.

No fim das contas, Waymo e Uber se acertaram (nesse processo, o Uber foi obrigado a fechar a Otto e ceder parte de suas ações para a Alphabet). Mas o processo da Waymo contra Levandowski continuou.

Agora, um juiz aceitou as acusações de roubo de propriedade intelectual contra Levandowski e aplicou a multa.

Ao declarar falência, o engenheiro disse que tem menos de US$ 100 milhões em patrimônio.