Samsung se desculpa e coreano encerra greve em torre

Um coreano que ficou quase um ano em protesto em uma torre de negócios em Seul encerrou sua manifestação nesta sexta-feira, após um acordo com a Samsung.

Kim Yong-hee foi demitido da Samsung há 25 anos por tentar organizar um sindicato na empresa. Desde então ele vinha tentando obter compensação financeira pela perda do trabalho e um pedido de desculpa da empresa.

Na semana passada um acordo foi anunciado e ele desceu da torre, 355 dias após o início do protesto.

Fight the Power

Em 10 de junho do ano passado, com ajuda de apoiadores, Kim Yong-hee usou um guindaste para subir no alto de uma torre de quase 90 metros em Seul, perto da sede da Samsung. E de lá não saiu mais.

Ele levou colchões e recebia comida e outros mantimentos de apoiadores.

Limpando a barra

O acordo com Kim é mais uma etapa da operação de ‘limpeza de imagem’ que a Samsung vem fazendo já há algum tempo na Coreia do Sul.

Como comentamos aqui há alguns dias, o CEO da empresa, Jay Y. Lee pediu desculpas por ‘erros de sua administração’.

Neste caso, ‘erros’ correspondem a envolvimento em corrupção de autoridades do governo. O escândalo foi descoberto em 2018 e acabou com a deposição da então presidente do país, Park Geun-hye.

Lee ficou alguns meses preso em decorrência do episódio e ainda corre risco de voltar à prisão.