Spotify e Epic se unem contra Apple e Google

Como já comentado por aqui há um bom tempo, os questionamentos sobre as práticas de Google e Apple em suas lojas de apps crescem a cada dia.

E ontem essa novela ganhou um novo capítulo com a criação da Coalition for App Fairness (CAF), associação que promete brigar para dar mais poder aos desenvolvedores de apps.

A asssociação nasceu com 13 integrantes, com destaque para Spotify, Epic Games e Match (dona do Tinder e outros apps).

O objetivo da CAF é pressionar legisladores para que as práticas impostas por Google e Apple em suas lojas sejam revistas.

Há tempos, desenvolvedores se queixam da taxa de 30% cobrada nas lojas, e também do fato de ter que concorrer com apps criados pela Apple e pelo Google.

A CAF pede, entre outras reivindicações, mais transparência no processo de aprovação de apps e permissão para usar sistemas de pagamentos alternativos (e não apenas os oficiais de cada loja).

Os donos da bola

Juntos, Google e Apple na prática controlam o mercado de apps em todo o mundo (com a exceção da China, onde o Google não opera e fabricantes locais têm lojas de apps poderosas).

Ambos cobram seus 30% de comissão sobre vendas e ditam as regras sobre o que pode ou não ser oferecido nas lojas.

De modo geral, o Google tem regras mais flexíveis e melhor relação com desenvolvedores, e por isso a pressão tem sido mais forte sobre a Apple.

Apenas nos últimos meses, a empresa se envolveu em disputas com o Spotify, a Epic e até com o Facebook, que teve um app de games barrado cinco vezes.

Na próxima segunda, Apple e Epic Games têm audiência marcada para resolver a polêmica em torno do Fortnite.