TikTok se desculpa por banir vídeo com críticas à China

O TikTok se desculpou por banir temporariamente um vídeo em que uma jovem fazia críticas ao governo chinês.

No vídeo, enquanto fazia um tutorial sobre maquiagem de cílios, a jovem Feroza Aziz falou sobre como a minoria muçulmana uigure é vítima de perseguição na China.

Há relatos consistentes de que cerca de 1,5 milhão de uigures estejam detidos em ‘unidades de retreinamento’ do governo chinês.

A China diz que os campos são centros de treinamento profissional para transmitir novas habilidades e ajudar a erradicar e prevenir o extremismo.

Segundo o TikTok, a remoção do vídeo foi “um erro” de um moderador e o conteúdo foi novamente disponibilizado menos de uma hora depois de ter sido apagado.

A empresa chinesa Bytedance, controladora do TikTok, afirma que, fora da China, não aplica censura a conteúdos críticos ao governo chinês (dentro da China, obviamente, a história é outra).

A controvérsia sobre o vídeo, visto 1,6 milhão de vezes, ocorre no momento em que a Bytedance é investigada nos EUA sobre suas políticas de dados pessoais.