‘Twitter da direita’, Parler cresce forte nos EUA

As recentes polêmicas entre as companhias de redes sociais e Donald Trump acabaram beneficiando uma rede social pouco conhecida.

A Parler saiu de 1 milhão para 1,5 milhão de usuários em apenas uma semana, após vários políticos do Partido Republicano abrirem suas contas e convidarem suas bases.

O movimento foi notado por uma matéria recente do Wall Street Journal, que afirmou que Trump procurava alternativas ao Facebook e ao Twitter, tendo em vista as eleições de novembro nos EUA.

Saída pela direita

Segundo a reportagem, a equipe de Trump avaliou que mais conteúdo do presidente pode ser bloqueado à medida que a campanha avança.

O Parler está longe de ser uma ‘terra de ninguém’ e conta com uma série de regras de comportamento em sua comunidade.

Mas o fundador e CEO, John Matze, diz que seu app de modo geral não censura conteúdo. As exceções de praxe são violações explícitas a questões de direitos humanos e obviedades como conteúdo pornográfico, criminoso e de violência.

Fora isso, “se você pode falar algo na rua, pode falar no Parler”, diz Matze.