Twitter recorre a usuários para combater fake news

Cada vez mais pressionado para coibir a proliferação de conteúdo falso em sua plataforma, o Twitter anunciou ontem a iniciativa Birdwatch.

Na prática, ela dá aos usuários da rede a capacidade de identificar tuítes que considerem falsos ou enganosos.

Haverá ainda a possibilidade de fazer anotações para adicionar informações que ajudem a ‘desmascarar’ o tuíte marcado.

Na fase inicial, o Birdwatch estará disponível apenas para um grupo de usuários dos EUA. Nessa fase, as anotações com comentários sobre os posts não aparecerão no Twitter, mas sim em um site separado do Birdwatch.

Futuramente, caso os testes sejam bem-sucedidos, as anotações serão exibidas no Twitter e o programa expandido para outros países.

O Twitter diz ainda que os códigos usados na montagem do Birdwatch serão oferecidos em formato open source. E as anotações também poderão ser facilmente baixadas, para fins de pesquisa.

Desde o ano passado o Twitter já marca posts com conteúdo enganoso, mas até o momento apenas a empresa pode fazer isso.

Já com o Birdwatch, a empresa pretende dividir a responsabilidade com a comunidade de usuários.

Como previsto, o anúncio do Birdwatch causou polêmica, no próprio Twitter, claro.

Alguns usuários criticaram a empresa por supostamente dividir uma responsabilidade que seria sua com pessoas que não vão receber nada por isso.

Outros elogiaram a medida e argumentaram que ela vai em um caminho correto ao estimular o engajamento de todos os usuários para melhorar a experiência da ferramenta.