Twitter volta atrás e libera acesso a artigo sobre Biden

Horas depois de bloquear links para um artigo do NY Post sobre o filho de Joe Biden, o Twitter voltou atrás.

“Bloquear links era errado, e atualizamos nossos termos para corrigir isso”, disse Jack Dorsey, CEO do Twitter, em um tuíte, claro.

A matéria do NY Post citava ligações de Hunter Biden, filho de Joe Biden, com uma empresa ucraniana e se baseava em dados vazados de um notebook que teria pertencido a Hunter.

Os dados teriam sido obtidos a partir de uma loja de reparos de computadores que teve acesso ao laptop.

Enquanto o Facebook apenas reduziu o alcance do link, o Twitter bloqueou completamente o acesso ao artigo a partir da rede social. A razão dada foi que a matéria era baseada em dados obtidos a partir de vazamentos.

Imediatamente, políticos republicanos se movimentaram para intimar Dorsey a explicar a decisão ao Congresso dos EUA.

Ele também foi criticado por abrir um precedente para que o Twitter pudesse bloquear qualquer matéria jornalística baseada em dados vazados.

Pressionado, o Twitter rapidamente alterou suas regras de uso. “Não bloquearemos mais o acesso a conteúdo vazado a não ser que seja compartilhado pelos próprios hackers, ou pessoas diretamente ligadas a eles”, disse um representante do Twitter.

Em tese, a nova regra agora permite que matérias jornalísticas apuradas também com dados vazados possam ser compartilhadas.