Uber tem vitória histórica na Califórnia

O Uber obteve ontem uma vitória histórica na Califórnia.

Em plebiscito realizado em conjunto com as eleições presidenciais, os californianos rejeitaram a lei local que obrigava a empresa (e também sua rival Lyft) a contratarem seus motoristas como funcionários, e não como trabalhadores independentes.

O resultado é uma importante vitória para o Uber, que – em conjunto com Lyft e a startup de delivery Doordash – gastou cerca de US$ 150 milhões para viabilizar o plebiscito.

Uber, Lyft e Doordash se opunham à lei desde janeiro, quando ela entrou em vigor, e usaram todos os meios jurídicos possíveis para evitar cumpri-la.

As empresas alegavam que contratar os motoristas como funcionários tornaria o modelo de negócios inviável.

Além disso, as empresas citavam pesquisas segundo as quais os motoristas preferiam ter mais flexibilidade de horários, mesmo que para isso não tivessem benefícios.

Derrotado, o estado da Califórnia deve cobrar das empresas multas pelo período entre janeiro e novembro, alegando que a lei já estava em vigor e foi descumprida.