UE de olho na compra da Fitbit pelo Google

O Conselho de Proteção de Dados da União Europeia (EDPB) alertou para riscos à privacidade decorrentes da compra da Fitbit pelo Google.

Conhecida por suas pulseiras inteligentes e outros acessórios esportivos, a Fitbit foi comprada no fim do ano passado pelo Google por US$ 2,1 bilhões.

A aquisição foi interpretada como uma tentativa do Google de dar um gás em sua divisão de vestíveis.

O sistema Wear OS já existe há alguns anos, mas está bem atrás da Apple e seu relógio Apple Watch em participação de mercado.

A compra da Fitbit pode dar ao Google uma grande quantidade de dados de saúde de seus usuários, como quantidade diária de passos e calorias queimadas.

“A possível combinação e o acúmulo adicional de dados pessoais sensíveis de usuários na Europa por uma grande empresa de tecnologia pode acarretar um alto nível de risco à privacidade e a proteção de dados”, afirmou o órgão em nota.

A compra da Fitbit pelo Google será analisada em novembro por Margrethe Vestager, comissária para assuntos de concorrência de mercado da UE e notória “pedra no sapato” das Big Tech.