Vendas de smartphones despencam com pandemia

O que já era esperado aconteceu, e começam a chegar os primeiros números do mercado de smartphones pós-pandemia.

Em relatório, o Gartner aponta que as vendas caíram 20% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao ano passado.

Das cinco maiores fabricantes do mundo, quatro apresentaram quedas.

A líder Samsung apresentou queda de 22%, mas segundo o Gartner poderia ter sido pior. “A baixa presença no mercado chinês e a localização de muitas fábricas fora da China diminuiu o impacto da pandemia na operação”, diz o instituto.

Segunda no ranking, a Huawei foi a mais castigada, com queda de 27%. A vida da companhia não está fácil desde que o bloqueio do governo americano impediu a empresa de produzir smartphones com apps do Google.

Como comentado por aqui, a Huawei tem tentado ‘gambiarras’ pra escapar das sanções, mas ainda com resultados inexpressivos.

Além disso, a empresa depende muito das vendas no mercado chinês, que foi gravemente afetado no primeiro trimestre.

Já a Apple teve queda de 8% nas vendas, com desempenho melhor do que os concorrentes. Segundo o Gartner, a empresa começou bem em janeiro graças aos novos iPhones e conseguiu normalizar suas linhas de produção rapidamente.

Mas quem se saiu bem mesmo foi a Xiaomi. Apesar da pandemia, a quarta do ranking conseguiu aumentar ligeiramente as vendas, em 1,4%. A empresa se beneficiou das fortes vendas da linha Redmi na Europa e em outros mercados, de acordo com o Gartner.

Quinta do ranking, a Opp teve queda de 19%. Segundo o institudo, a empresa depende muito de canais offline para vendas e por isso sofreu bastante.