WeWork processa Softbank por quebra de contrato

Comentamos por aqui há alguns dias que o Softbank desistiu de comprar US$ 3 bilhões em ações da WeWork, quebrando um compromisso firmado no ano passado.

E a resposta da WeWork veio rápido. A empresa anunciou um processo contra o Softbank por quebra de contrato.

Em comunicado, a WeWork alega que o Softbank já obteve os benefícios do contrato assinado no ano passado, que autorizou o conglomerado japonês a demitir o então CEO Adam Neumman e nomear membros para o conselho da WeWork.

A WeWork então quer que o Softbank compre as ações ou faça um pagamento de US$ 3 milhões em dinheiro para ‘tapar o buraco’.

Por seu lado, o Softbank alega que a WeWork não cumpriu alguns itens do contrato, incluindo aí bater algumas metas financeiras, e por isso está no direito de se recusar a comprar as ações. Obviamente, bater metas ficou complicado para qualquer empresa pós-coronavírus.

Como comentado recentemente por aqui, o Softbank também tem seus problemas e está vendendo US$ 41 bilhões em patrimônio para quitar dívidas e compromissos com acionistas.