WhatsApp quer banir disparos em massa nas próximas eleições

O WhatsApp sugeriu à Justiça brasileira que os disparos de mensagens em massa sejam proibidos nas eleições municipais do ano que vem.

Em audiência pública realizada na quarta-feira no TSE, o advogado da empresa, Thiago Sombra, sugeriu que o artigo que proíbe a propaganda eleitoral via telemarketing seja expandido para vedar o disparo em massa de mensagens.

Atualmente, a compra de serviços de disparo não é regulamentada, embora a prática possa ser alvo de punição caso gere outras irregularidades, como difamação de candidatos.

O WhatsApp, no entanto, quer que a legislação vede explicitamente o uso de ferramentas para o disparo em massa de mensagens, em qualquer circunstância.